sábado, 12 de julho de 2014

NATALENSES
                                
                                         
  


  
em suma, a areia,
as dunas: sal,
sonho e espuma



 Serviço doméstico
Também ensina
A sina da repetição





ó mar azulado
quanto deste anil
é lágrima do Brasil



  
Haicai não cai
Gota de memória
Es  o  rre lágrima



Cansada de correr
Sem força pra parar
Rodo no mesmo lugar



  
Em suma
Encima da cena
Só saliva





saudade pela frente:
um pouco de você, já
adoça o presente




No e-mail do caminho
O abraço e o carinho
Dos amigos que lá deixei





Sem embaraço.
Não participo de redes,
Eu crio laços.





asco alabastro
exantema - cabe tudo
no poema


  

 alvoroço de asas
 quando voltas pra casa
Pisando em canções do exílio




Simplória condição:
Em baixo do céu
Encima do chão



 O que foi bom, de fora
do embrulho da memória:
Caixa de pandora




O espetáculo da Terra
Resumido numa cela
De reality show



  

Com cautela
O último a sair
Abra a janela



Nenhum comentário:

Postar um comentário