domingo, 28 de dezembro de 2014

Mães


Mães são difíceis. Isso é fato. Às vezes elas passam um trator por cima de nós em nome da nossa própria felicidade. Vá entender. Mas o que seria de nós sem elas? e o que seria de mim sem aquele poema dificílimo que minha mãe me fez decorar quando eu tinha cinco anos? o que seria de mim sem as fantasias de baiana, de bailarina, de cigana? os vestidos da Quadra 5? sem o olhar corretor sobre meus poemas? sem o Cozido espetacular nas noites de junho?
Para terminar, então, vou retroceder algumas (muitas) décadas e chegar até o  meu primeiro dia de aula na Escola Vitória, quando eu, com passos firmes, entrei sem uma lágrima sequer, vestida com aquele tradicional uniforme xadrezinho,  o nome gravado no bolso.
No meu colo, tão feliz quanto eu, minha boneca preferida trajava também um uniforme idêntico, com o nome dela, Taíssa, também bordado no bolso, as letras perfeitas, com aquele capricho que só as mães sabem ter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário