sábado, 22 de agosto de 2015


                MEMÓRIA





Meu pai ia espalhando pela casa
as televisões que consertava
e estavam em teste.
Nós, os telespectadores, informávamos
 se, durante a sua ausência, alguma tivera recaída.

Neste exercício diário de ver o torto
o vertical solto
o sem voz
o desfocado e o fantasma
me cresceu por dentro
a tolerância
e o respeito ao desvão.

Além disso,
a prática
do relato sobre o defeito
fez haver em mim
alguma habilidade em lidar 
com o inenarrável
próprio da poesia.

3 comentários:

  1. aprendemos tanto sobre antena, horizontal, vertical e hoje, nem as televisões sabem do que se trata....a genealogia das televisões também seguiram adiante.

    ResponderExcluir
  2. aprendemos tanto sobre antena, horizontal, vertical e hoje, nem as televisões sabem do que se trata....a genealogia das televisões também seguiram adiante.

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda sei consertar uma tv de válvula... eu ainda me lembro das antigas tecnologias... até quando?

    ResponderExcluir