quarta-feira, 19 de abril de 2017

Genealogias II

Dizem por aí que toda mulher tem sua versão do sapatinho de cristal. A minha, são esses tamanquinhos de couro que estão na vitrine de um museu em Rio Novo/MG. Explico: foram produzidos na fábrica de Francisco Maciel, meu avô. Nunca conheci meu avô, mas quando leio o recorte de jornal, sinto que activo, laborioso e intelligente são uma espécie de lastro genético herdado pelo meu pai. Na sequência, é minha irmã Cristina quem herdou esses adjetivos, porque é capaz de pensar e produzir, fabricar as coisas mais inusitadas. Meu avô morreu quando meu pai ainda era criança. Olhando o retrato dos dois, percebemos que são muito parecidos. Penso que depois de tantos anos, talvez eles tenham se reencontrado por aí, em outros planos que nem sei. Espero que tenha sido um encontro bom, já que, me parece, ambos não eram dados a afetos desnecessários porque a vida não é para perfumarias, mas para aprender sempre e fazer o que é vital. Foi isso que meu pai me explicou pelos seus atos enquanto eu tecia, inapta para fabricar inventos concretos, devaneios e poemas.


Exibindo Tamancos fab vo francisco-045F.JPG

Exibindo Tamancos fab vo francisco-047F.JPGExibindo Nota jornal sobre vo Francisco-054F.JPG

2 comentários:

  1. Obrigada pelos elogios
    Não os mereços
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não são elogios, são minhas constatações. Você é a neta-herdeira dos talentos do Sr. Francisco Maciel. Talvez eu esteja vinculada ao outro avô, leitor apaixonado, Claret Otaviano Dias.

      Excluir